close

Super Novas

Super Novas

“Segura o Reggae” é o novo clipe do Msário

SEGURA

Após lançar dois lyric videos para os singles de Alma Brava” e “Dona de Si, Msário apresenta o clipe de “Segura o Reggae”, terceira faixa do novo EP, Indefinido, a ganhar versão em vídeo. Com direção de Rodrigo Zanchini e produção da Zeppelin Filmes, o clipe tem fotografia e luzes marcantes, fazendo o roteiro ganhar muito estilo na tela.

“Segura o Reggae” é um dubstep que versa responsabilidades e escolhas. “Essa música é sobre as consequências das atitudes que tomamos no dia-a-dia. Ter que segurar a onda depois de fazer escolhas”, diz o MC sobre a letra. Os arranjos foram orquestrados pela dupla de produtores que assinam o novo EP, Bruno Dupre e Jeff Boto, que juntos a Caio Nefussi construíram os beats da faixa.  Laylah Arruda, cantora e DJ, é quem deixa o refrão mais encorpado com backing vocals.

O vídeo tem figuração de Felipe Barros (Zero), personagem que simboliza a busca, o corre e o esforço para encontrar um caminho certo e sentido para a vida. A condução visual do clipe junta cores, projeções e glitch, que dão brilho moderno às cenas captadas em numa garagem de ônibus desativada e deserta.

Msário se programa para lançar mais dois vídeos que completam as cinco faixas de Indefinido. O rapper faz show no Jai Club (SP), no sábado, 26 de agosto, ao lado de DJ SouJazz, Coruja BC1 e DJ Kiko. Saiba mais aqui.

Ficha técnica:

Música: Letra: Msário, Beat: Bruno Dupre, Jeff Boto e Caio Nefussi, Guitarra: Bruno Dupre, Backing Vocal: Laylah Arruda, Mix e Master: Luiz Café

Clipe: Diretor: Rodrigo Zanchini, AD/Produtora: Priscila Moreira, Ator: Felipe Barros (Zero), Assistente: Olivia Fongaro, Fotógrafo: Ricardo Pelissari, Câmera 360º: Felipe Del Valle, 1º AC: Junior Forster, Eletricista: Vanilton Alves, Eletricista: Luizão, Diretor de Arte: Monteiro Monteiro, Adereços e Grafite: Oxil, Adereços/Contrarregragem: Marcos Marcolini, Contrarregragem: Douglinhas Trankera, Produtor: Miguel Pixies, Maquiadora: Olivia Gregorio, Estúdio 301 Ed Edu Ruiz, Cenógrafo: Gaúcho, Transporte: Doricar, Edição/Montagem: André Esposito, Color/Post: Eduardo Nascimento

Ouça Indefinido nos players: YouTube | Spotify | Deezer | Google Play

Siga Msário: Site oficial | FacebookInstagram

Contato: shows@msario.com

leia mais
Super Novas

Sonoridade diversa e voltada ao beat marca Indefinido, novo EP de Msário

m2

Msário em estado indefinido. O MC, que já dividiu a responsa no Pentágono (2001 – 2013), investe na carreira solo desde 2011 e constrói uma discografia que inclui a mixtape Playbeck (2011), o álbum Sangue de Leão (2015) – concebido organicamente com banda completa e muita influência de música jamaicana –  e agora será encorpada por um EP mais eclético. Indefinido é o título porque Msário está em plena desconstrução – não apenas do machismo mas também de sua música e mensagem.

Redirecionar a sonoridade para o rap das antigas, quando o beat era igualmente importante à rima, é uma das propostas de Indefinido. Essa riqueza dos beats ficou nas mãos de beatmakers de alto escalão nacional como Slim Rimografia, Scott Beats e Skeeter. A essência do rap se mistura a outras influências negras, como o soul e o jazz, e também flerta com demais gêneros que Msário tira de letra, como o dubstep e o trap, com destaque para a participação de DJ SouJazz, craque do turntablism no país.

Os primeiros singles liberados, “Dona de Si” e  “Alma Brava”, já deram um norte sobre a musicalidade do EP, mostrando o clima de baile pesado da primeira e do groove r&b da segunda. Ambas com participação do trombonista Bocato, “Dona de Si” é assinada por Msário, pelo ator e poeta Marco Fé, e pela cantora e compositora Heloá Holanda, que também divide vocais; e “Alma Brava” tem Daniel Yorubá na co-autoria dos versos ao lado de Msário e cantando o refrão.

Estas faixas marcam a nova pegada das letras, que versam sobre empoderamento feminino/liberdade sexual, igualdade de gênero e a visão do homem do século 21 sobre ele mesmo: precisa mudar. Ainda no tracklist, “Segura o Reggae” traz o dubstep em primeiro plano, “Ela Gosta” é uma aposta conjunta com Scott Beats e, “Sensei”, que abre o trabalho, é uma incursão eletrônica de beat hipnótico, produção do parceiro Rael com toque oriental e scratches do DJ SouJazz, bicampeão do Hip Hop DJ, atual campeão do DMC Brasil e um dos maiores no turntablism nacional.  

Indefinido tem produção do próprio Msário e de Bruno Dupre e Jeff Boto. O EP já rendeu dois lyric videos, “Alma Brava” e “Dona de Si”. As outras três faixas também ganharão produção em vídeo.

Msário se apresenta no Jai Club, em São Paulo, ao lado de DJ SouJazz, Coruja Bc1 e DJ Kiko em 26 de agosto. O estiloso clipe de “Segura o Reggae” também está marcado para chegar em breve.

(Msário e DJ SouJazz – Foto de Enio César)

Ouça Indefinido nos players: YouTube | Spotify | Deezer | Google Play

Tracklist:

  1. Sensei (Papo de Futuro) feat. Daniel Yorubá
  2. Dona de Si feat. Heloá Holanda  Part. Especial  Bocato
  3. Alma Brava feat. Daniel  Yorubá Part. Especial Bocato
  4. Ela Gosta, Se Gosta
  5. Segura o Reggae

Ficha Técnica:

Sensei ( Papo de Futuro )  Feat. Daniel Yorubá | Letra: Msário, Beat: Rael, Cavaco: Bruno Dupre, Voz: Daniel Yorubá, Scratches: DJ SouJazz, Mix e Master: Luiz Café

Dona de Si feat. Heloá Holanda  Part. Especial  Bocato | Letra: Msário, Heloá Holanda e Marco Fé, Beat: Skeeter, Guitarra: Bruno Dupre, Trombone: Bocato, Voz: Heloá Holanda, Mix e Master: Luiz Café

Alma Brava. feat. Daniel  Yorubá Part. Especial Bocato | Letra: Msário e Daniel Yorubá, Beat: Slim Rimografia, Trombone: Bocato, Voz: Daniel Yorubá, Mix e Master: Luiz Café  

Ela Gosta, Se gosta | Letra: Msário, Beat: Scott Beats, Mix e Master: Luiz Café

Segura o Reggae | Letra: Msário, Beat: Bruno Dupre, Jeff Boto e Caio Nefussi, Guitarra; Bruno Dupre, Backing  vocal:  Laylah Arruda, Mix e Master: Luiz Café

Siga Msário: Site oficial | Facebook | Instagram

Contato: shows@msario.com

leia mais
Super Novas

Spinosa leva o pop e o kitsch para show de lançamento no Teatro de Conteiner (25/7)

Spinosa baixa (Foto – Pedro Nóbrega) (2)

Em abril, Renato Spinosa lançou-se solo dando vida ao Beijo Burocrático, seu EP de estreia charmoso e radiofônico. Nele, SPINOSA se propôs ao desafio de colocar em prática todas as suas facetas como músico. E assim o fez: escreveu canções, cantou, gravou os teclados, assumiu a direção musical e co-produziu o disco de forma independente.

(Foto: Pedro Nóbrega)

Beijo Burocrático foi à era de ouro da música negra dançante trazendo um tanto de soul para a sonoridade, que também inclui referências claras ao pop, jazz, r&b e rock brasileiro.

A pessoalidade de Renato está marcada no EP ao falar sobre solidão e a ansiedade de se viver nos grandes centros, expurgando amores platônicos e ironizando estereótipos de beleza com visual kitsch.

Para a estreia deste projeto nos palcos, Renato prepara um show em grande estilo. Convocou para sua banda os músicos Diego Amaral (guitarra), Maurício Biazzi (baixo), Kim Jinkings (teclado), Rafael Lourenço (bateria), Fabio de Oliveira (trompete), Luís Santiago Málaga (saxofone) e Fabio Matinelli (trombone). O repertório traz o EP na íntegra e também interpretações de Lenine, Max de Castro, Aldir Blanc, Moska e Queen.

Serviço:

SPINOSA: Show de lançamento do Beijo Burocrático

Terça-feira, 25 de julho

A partir das 20h

Local: Teatro de Conteiner | Rua dos Gusmões, 43 | Santa Ifigênia | São Paulo

Ingressos: R$30 (inteira) | R$15 (meia) | R$5 (moradores do bairro)

Venda online aqui.

 

Sobre Renato Spinosa: é bacharel em composição, cantor, pianista, regente e professor da Escola do Auditório do Ibirapuera. Integrou as bandas Onagra Claudique, Seychelles, Monique Maion e Os Fellas. No teatro, atuou no espetáculo Ensaio Sobre O Sim e o Não (Teatro de Narradores) e foi preparador vocal da peça Luiz Antonio-Gabriela (Cia. Mungunzá de Teatro). No cinema deu voz à musica tema da animação Graffitti Dança.

Ouça Beijo BurocráticoBandcamp (com download gratuito) | Spotify | Deezer | Napster | iTunes | YouTube |

Amazon | Soundcloud | Google Play | OneRPM

Siga Spinosa:

Facebook

leia mais
Produção CulturalSuper Novas

Macaco Bong traz repertório de Nevermind, do Nirvana, para show único no Sesc Campinas (22/7)

19849266_1389151491139376_718260889_n

Macaco Bong é um dos maiores expoentes do rock instrumental brasileiro e mantém a fama com uma discografia primorosa de sete lançamentos. Entre álbuns e EPs, o power trio, de origem mato-grossense, cravou em muitos ouvidos um combinar experimental de stoner rock com música negra, folclórica e psicodélica, ganhando notoriedade em grandes festivais nacionais e estrangeiros.

(Foto: Karina Menezes)

Mesmo com tanto material autoral para contemplar o público, Macaco Bong agora também investe num set incomum e apresentações especiais do repertório completo de Nevermind, álbum seminal do Nirvana e que catapultou o então desconhecido grunge para o mundo das grandes gravadoras, em 1991. Referência para a banda, que sempre usou muitos pedais de distorção, recriar o clássico Nevermind para sua linguagem virtuosa e instrumental foi um trabalho de criatividade e horas testando frases de guitarra, experimentando timbres e fazendo a cozinha (baixo e bateria) assumir um protagonismo próprio, assim como o fizeram Krist Novoselic e Dave Grohl.

Este repertório de versões do Nirvana resguarda a identidade do Macaco Bong com muito groove e desconstrói as melodias com novos arranjos. Interpretado com audácia pelos integrantes, o tracklist foi pensado para ser mais pesado e com outra marcação de tempo, o que garante manter a assinatura bonguiana.

Em apresentação única no Sesc Campinas, no sábado, 22 de julho, o trio mostra essas composições com nostalgia revisitada para o público que poderá ter o melhor de dois mundos: um álbum clássico em versão totalmente inédita.

Macaco Bong é Bruno Kayapy (guitarra), Daniel Hortides (baixo) e Daniel Fumegaladrão (bateria).

Serviço:

Sábado, 22 de julho

Sesc Campinas | Rua Dom José I, 270/333 | Bonfim | Campinas (SP)

Horário: 16h30

Gratuito

Link do evento: aqui.

 

Produção Sinewave – www.sinewave.com.br

Sinewave: Produtora e selo, a Sinewave tem um extenso catálogo de lançamentos construído desde 2008. Apostando nas linguagens instrumentais, experimentais e barulhentas, mais de 80 bandas e artistas somam quase 180 álbuns lançados por eles. Contato: sinewave@sinewave.com.br

leia mais
Distúrbio FemininoProdução CulturalSuper Novas

Distúrbio Feminino reúne música e mídia feminista para terceira edição de festival (22/7)

Arte DF 3 – Por Ana Beatriz Resende – baixa 2

Evento fomenta a cultura do faça-você-mesma com encontro de gerações do punk feminista brasileiro, shows únicos, mídia independente e muita produção artística feminina.

O Riot Grrrl BR tem encontro marcado no dia 22 de julho durante a terceira edição do Distúrbio Feminino Fest!

A velha e a nova Escola do Punk Feminista Nacional vêm muito bem representadas com:

Dominatrix! Em apresentação dos 20 anos do primeiro álbum, Girl Gathering, o quarteto, fundado em 1995 e fundamental para o punk brasileiro, se reúne especialmente para tocar este clássico de 1997 e muitas outras essenciais de seu precioso catálogo. Apenas imperdível!

Charlotte Matou um Cara! Vem pra mandar a real sobre ser Mulher Punk no Underground atual e mostrar ao vivo toda a porrada do álbum de estreia, lançado em abril. Minas cospem fogo: vai ser explosivo.

Teremos as divinas forasteiras para shows únicos em SP:

Soror! O ressoar ancestral ecoa lá de Brasília e chega com densidade através do quarteto. Invocação, rituais. Sonoros. Experimentais. Explorar e extrapolar os instintos. Abstração. No repertório, faixas do primeiro EP (2014) e muitas inéditas.

Katze! De Curitiba, Katze é uma sensação. Trabalho solo de Katherine Zander, integrante do duo Cora, vamos celebrar as fases da Lua com ela e o repertório de Moon Phases of a Relationship, primeiro – e badalado – EP que saiu em março. Minimal jazz com o brilho das guitarras lo-fi e um marcante downbeat para acompanhar o mergulho nas estrelas.

Nas paredes, arte poética e guerrilheira com expo de lambes de Ryane Leão/Onde jazz meu coração.

Ainda na programação: roda e encontro sobre Mídia Feminista no mundo virtual e fora dele ::: como e porquê comunicar é empoderar ::: mulheres produtoras de conteúdo que usam meios variados como ferramenta para o Novo Feminismo. Com participação de:

PapodeMulher – canal no YouTube

Beliza Buzollo/Na Ponta da Língua – quadrinhos

Ryane Leão/Onde Jazz Meu Coração – lambe/poesia

Monique Dardenne Women’s Music Event

Cris Rangel/Lôca do play – livro/poesia

Maria Luísa Lopes/Delirium Nerd – blog cultura pop

Luciana Roedel e Marina Marchesan/PPKdanada – zine

Camila Visentainer/Melão Cólica/Coletivo Cósmico – zine

+ a confirmar

Bazares e comidas também fazem parte:

Expositorxs:

Coletivo Cósmico – bordados, desenhos e outras produções manuais do coletivo artístico de Santo André

PPKdanada Zine (RJ)

Pedra – joias de prata de Luciana Roedel

Bertha Lutz – merchs especiais da banda mineira

L’oiseau Acessórios Vintage – acessórios raros de toda parte do mundo

Empodera Distra – camisetas, moletons, bottons e mais artigos lindos de nossas bandas feministas preferidas!

Camisetas da XXT Power

Pussy Art – bijuterias artesanais de ppks

Atitudiyane – bijux de bucetinha

+ a confirmar

Cozinha:

Fernanda Gamarano, guitarrista/vocalista da Der Baum e fotógrafa talentosa, vem trazer as delícias de seus quitutes da Fefas Massa.

Discotecagem 101% Distúrbio Feminino Hits e Grrrl Germs Essentials!

+++++++++++

Serviço:

3º Distúrbio Feminino Fest

Sábado, 22 de julho

Associação Cultural Cecília | Rua Vitorino Carmilo, 449 | São Paulo

A partir das 15h

Classificação livre

Ingressos: R$15 (antecipado/reserva) | R$20 (no dia)

Vendas apenas em dinheiro

Ingressos limitados

Lote de ingressos antecipados: 100 unidades

Reserve por email (contato@supernova.mus.br) ou telefone/whatsapp (11 94148.2842)

Link do evento no Facebook, aqui.

+++++++++++

Live streaming por Menu da Música.

Realização: Supernova

++++++++++

O Distúrbio Feminino é uma plataforma de empoderamento feminino através da música e das artes. Tem foco na produção nacional mas está de olho no mundo todo. Produz conteúdo em zine, blog e podcast, além de produção de eventos e artistas. 

leia mais
Produção CulturalSuper Novas

Patife Band faz show de 30 anos de Corredor Polonês no Sesc Campinas (15/7)

19832653_1389151354472723_209134363_n

Patife Band, inclassificável e longeva banda dos anos 80, está na ativa e acaba de acertar uma apresentação no Sesc Campinas, no dia 15 de julho. O quarteto agora é formado por Paulo Barnabé, fundador e líder do grupo desde 1983 no vocal e percussão, Fábio Gouvea (guitarra), Felipe Brisola (baixo), Elvis Toledo (bateria) e Richard Fermino (sax alto e barítono).

(Foto: Rodrigo Fonseca)

Nos últimos anos, a Patife tem se reunido para shows esporádicos pela capital paulista e interior paraense, sendo sensação para todas as idades e mostrando o brilho criativo que tornou a banda renomada no país e exterior como parte da Vanguarda Paulista – período de experimentações e novas linguagens, indo das ideias eruditas à música brasileira, punk rock e o atonalismo. 

A Patife atravessou as décadas como poucos e reinventa seu repertório curto (de apenas um álbum oficial) a cada apresentação. Este show em Campinas é comemorativo aos 30 anos de lançamento do debut, Corredor Polonês, álbum de importância imperecível para o rock brasileiro, e traz também algumas novas composições.

Referência para as gerações dos anos 80, 90, 2000 e 2010, a Patife Band inspira artistas e público até hoje e no palco não deixa a desejar: conquista fãs novos sem deixar os mais velhos no saudosismo. Atualmente em estúdio, o grupo se dedica a compor um trabalho inédito.

(Arte de Gabriel Muchon)

Serviço:

Patife Band no Sesc Campinas

Sábado, 15 de julho

Sesc Campinas | Rua Dom José I, 270/333 | Bonfim | Campinas (SP)

Horário: 16h30

Gratuito

Link do evento: aqui.

 

Produção Sinewave – www.sinewave.com.br

Sinewave: Produtora e selo, a Sinewave tem um extenso catálogo de lançamentos construído desde 2008. Apostando nas linguagens instrumentais, experimentais e barulhentas, mais de 80 bandas e artistas somam quase 180 álbuns lançados por eles. Contato: sinewave@sinewave.com.br

leia mais
Super Novas

Grajaú revela mais um talento: conheça o cantor e compositor Gê de Lima e sua força política

Jpeg

Gê de Lima é um artista do Grajaú que, assim como outros nomes que despontaram da Zona Sul de São Paulo como Criolo, Msário, Rael, Raquel Virgínia (As Bahias e a Cozinha Mineira) e tantos outros, usa a música como discurso social e traz na voz as marcas da vida na periferia.

Desde que lançou o primeiro álbum, Minha Conduta (2014), o cantor e compositor tem crescido como referência do empoderamento gay negro e isso se confirma com o último clipe lançado, “Fotografia”, que traz o orgulho de amar livremente. Com este vídeo, Gê consolida seu papel de ativista e já anuncia um novo repertório de trabalho ainda mais incisivo e questionador das normas.

Recentemente, Gê de Lima participou do Estúdio Showlivre e deixou claro o potencial que tem para emergir na nova música brasileira. O impacto está no visual afro retrô, no timbre único e na entrega como performer. Acompanhado de banda completa, Gê apresentou canções do primeiro álbum e algumas inéditas que ressaltam a importância de temas como diversidade de gênero e racial, preconceito e representatividade das minorias.

“Normativo”, primeira música executada no programa e também próximo single de trabalho, é uma composição de Gê e trata de racismo disfarçado e fetichismo ao corpo negro. Com pegada blues, a canção faz uma crítica à reprodução do discurso heteronormativo e homofóbico, e serve bem como exemplo do que virá no próximo álbum.

Na apresentação, Gê conta sua história de superação como artista periférico independente e dos próximos planos de sua carreira. Momentos descontraídos e emocionantes marcaram a participação do cantor, como em “Navio Negreiro”, que retrata o passado de escravidão, e momentos de protesto como nas músicas “Estaremos Lá” e “Mão Preta”, com participação da poetisa Thata Alves.

Assista na íntegra:

Setlist:

Normativo
Esse Preto
Vamos Nessa
Fotografia
Mão Preta
A Maré
Navio Negreiro
Estaremos Lá
Estação Grajaú
Com Que Roupa

Banda: Guto Visciano – guitarra e arranjos;  Rodrigo Viturino – contrabaixo; Lello Araújo – bateria; Teco Martins – percussão

Siga Gê de Lima: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify | Deezer | iTunes

leia mais
Super Novas

Zé Bigode apresenta Fluxo ao vivo em show gratuito no Parque das Ruínas, no Rio de Janeiro (1/7)

Fluxo – show Parque das Ruínas

Lançado em maio, Fluxo é o primeiro álbum de Zé Bigode, grupo instrumental do Rio de Janeiro. Reunindo a experiência dos 15 músicos presentes nas gravações, o trabalho reverbera o potencial da música instrumental como arte e cultura populares, além de mostrar uma variada gama estilística – qualidade de quem se propõe a criar sem se limitar a gêneros.

O álbum aponta os multiversos da composição brasileira atual, preservando os temas folclóricos mas usando a fluidez do jazz para dar um charme especial. Somado a isso, outras paradas essenciais como o maracatu, o afrobeat e a música cubana marcam o ponto de encontro entre tantas culturas e jogam luz a um repertório que vai bem como trilha intimista ou para grandes noitadas.

Em show gratuito, Fluxo será mostrado na íntegra no Parque das Ruínas, no Rio de Janeiro, dia primeiro de julho. Com banda formada por dez musicistas, esta apresentação também recebe a poetisa Ingra da Rosa, dona dos versos entoados nas faixas “7 Caminhos”, “Amalá” e “422”. A ela se juntam Jef, do grupo baiano OQuadro, e John, do Rap 22B, para algumas surpresas e improvisações.

 

Serviço:

Zé Bigode apresenta Fluxo

Sábado, 1 de julho

Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas

Rua Murtinho Nobre, 169 | Santa Teresa | Rio de Janeiro – RJ

Show das 17h às 18h30

Gratuito

Classificação Livre

Mais informações aqui.

 

Acompanhe Zé Bigode:

Facebook

YouTube

Instagram

leia mais
Super Novas

Sinewave e Howlin’ Records apresentam palco especial durante o Dia da Música 2017

ddm sinewave e howlin 2

Dia 24 de junho, o Brasil inteiro vai estar comemorando e fazendo o Dia da Música acontecer. Em São Paulo, no Largo da Batata, o movimento será garantido com a força-tarefa dos selos Sinewave e Howlin’ Records, que, juntos, promovem os palcos mais barulhentos da cidade.

Reconhecidos como fomentadores da cultura independente e do rock autoral na capital, cada selo apresenta sete bandas em shows intercalados, numa maratona de oito horas ininterruptas de música ao vivo. Montados frente a frente, dois palcos servem de cenário para esse ringue das guitarras que vão reverberar as tantas linguagens de seus representantes: experimentalismo, stoner, shoegaze, post-rock, indie e até um electro burlesco anárquico.

A excentricidade do catálogo da Sinewave vem representada com show solo do carioca Cadu Tenório e sua parafernália de synths, samples e outros eletrônicos; o retorno aguardado a terras paulistanas dos gaúchos Loomer, legítimos representantes do shoegaze BR; as epifanias dos power trios instrumentais Macaco Bong e Ralo; o show relâmpago (e matador) dos stoners Emicaeli; os tons mais graves e as notas mais baixas no doom metal do Jupiterian e a imperecível Patife Band, mostrando como e porquê ainda influencia gerações.

Do lado da Howlin’ Records, boas doses de sujeira e fuzz são muito aguardadas nos shows de Color for Shane e Sky Down, ambas referências na atual cena do ABC paulista; o cabaret-inferninho Gomalakka não vai dar sossego com sua fusão de riffs e batidas eletrônicas, muito menos Vapor e Blues Drive Monster, dois quartetos de post-rock/post-HC de herança melódica para nenhum seguidor da Dischord Records botar defeito. Stase traz um pouco do espaço com seu indie sideral enquanto Miêta (BH) apresenta um dreampop/shoegaze de assinatura feminista.

Programação:

Palco Sinewave:

14h – Cadu Tenório

15h – Ralo

16h – Jupiterian

17h – Emicaeli

17h45 – Patife Band

19h – Loomer

20h – Macaco Bong

(Emicaeli)

Palco Howlin’ Records:

14h30 – Vapor

15h30 – Stase

16h30 – Blues Drive Monster

17h15 – Color for Shane

18h30 – Sky Down

19h30 – Gomalakka

20h45 – Miêta

(Gomalakka)

Serviço:

Dia da Música: Sinewave vs Howlin’ Records

Sábado, 24 de junho

Local: Largo da Batata | Pinheiros | São Paulo (SP)

Das 14h às 22h

Classificação livre

Gratuito

Saiba mais:

Sinewave: Produtora e selo, a Sinewave tem um extenso catálogo de lançamentos construído desde 2008. Apostando nas linguagens instrumentais, experimentais e barulhentas, mais de 80 bandas e artistas somam quase 180 álbuns lançados por eles. Contato: sinewave@sinewave.com.br

Howlin’ Records: Selo musical fundado em 2014 que opera de maneira coletiva, colaborativa e horizontal. Lança bandas autorais, além de promover e divulgar eventos independentes. Contato: howlinrecords@howlinrecords.com.br

leia mais
Super Novas

Macaco Bong no Sesc Belenzinho (SP), dia 9 de junho

Macaco Bong – Sesc Belenzinho

Na estrada há quase 15 anos, Macaco Bong mantém o vigor em alta. Sempre uma experiência hipnótica ao vivo, o trio continua os trabalhos de divulgação do último álbum, Macaco Bong, lançado em 2016, e se apresenta no Sesc Belenzinho, dia 9 de junho (sexta-feira).

Quando surgiu, em 2002, em Cuiabá (MT), Macaco Bong ajudou a dar outro significado à música instrumental: sair dos nichos eruditos/ser popular; e nova significância ao stoner rock produzido no Brasil: dialogar perfeitamente com a cultura local e raízes nacionais. Isso possibilitou abrir um novo caminho para a produção autoral do centro-oeste e colocou a banda como nome promissor de uma cena que se formava além dos grandes centros.

O currículo de sete lançamentos, entre álbuns e EPs, mostra que Macaco Bong vai de post-rock a jazz e música folclórica sem deixar de dar a assinatura virtuosa que os fez reconhecidos internacionalmente. Para o show no Sesc Belenzinho, o repertório é baseado no último lançamento, mas também apresenta antigas dos álbuns Artista Igual Pedreiro (2008), This is Rolê (2012) e Macumba Afrocimética (2015).

(Foto: Karina Menezes)

Macaco Bong é Bruno Kayapy (guitarra), Daniel Hortides (baixo) e Daniel Fumegaladrão (bateria).

 

Serviço:

Macaco Bong

Sexta-feira, 9 de junho

Sesc Belenzinho | Rua Padre Adelino, 1000 – Belém | São Paulo (SP)

A partir das 20h30 | Show às 21h30

Ingressos: R$20 (inteira) | R$10 (meia) | R$6 (comerciário)

Venda online a partir de 30/5, aqui

leia mais
1 2 3 9
Page 1 of 9